Blog de crítica e opiniões sobre as políticas que afetam negativamente a humanidade. O Homem na atualidade necessita urgentemente de arrepiar caminho, em busca de um novo Mundo!

29
Ago 12

A geração dos chicos espertos chegou ao poder durante o século XXI. Foram na sua maioria recrutados pelas juventudes partidárias, chegaram à política nos anos 80, desqualificados academicamente, pois a atividade política rapidamente se tornou muito mais recompensadora.

No passado vivemos séculos de pobreza franciscana, mas quando temos a sorte de ter dinheiro fácil em quantidades abundantes, deixamos de ser racionais e passamos a ter um comportamento como os mais perfeitos chicos espertos, isto é, os indivíduos que procuram o benefício ou a vantagem pessoal, mesmo que para tal prejudiquem alguém.

Atualmente, o escândalo tornou-se o modelo da nossa sociedade, ou seja, mais numa questão de oportunidade do que de verdade, de excitação do que de justiça, de ajuste de contas do que de valores. São estes os exemplos que os nossos jovens vivenciam e que, no futuro muito provavelmente replicaram. O esforço e a meritocracia em Portugal não são recompensadores.

Somos de fato o país dos chicos espertos, onde o facilitismo impera, onde se tornou bem mais simples ter diplomas do que estudar, e onde conseguir um grau académico é tantas vezes mais obra de expedientes do que de aprendizagem e de esforço, em grande parte das universidades.

Deixo uma frase de Agustina Bessa-Luís, que na minha opinião reflete bem a situação miserável a que chegou o nosso país, numa "perfeita improvisação do destino. Todos se contradizem, mas ninguém entra em conflito. As pessoas confraternizam com o irremediável, mais do que estão divididas nas ideias.

publicado por franciscofonseca às 20:03
sinto-me:

26
Ago 12

No ano em que nasci o homem chegou a Lua. Aprendi na escola como tantos outros milhões de pessoas, por todo o mundo, que o primeiro homem a pisar na Lua foi Neil Armstrong, que comandou a Apollo 11, missão que chegou ao satélite da Terra em 20 de julho de 1969. Ao ser o primeiro ser humano a pisar em outro corpo celeste, Armstrong proferiu a frase, que se tornou celebre: “Um pequeno passo para um homem, um grande salto para a humanidade.”

Mas segundo especialistas a NASA, agência espacial americana, não tinha tecnologia para colocar o homem na Lua em 1969. Mas precisava fazer isso de qualquer maneira, pois estávamos no auge da Guerra Fria. Tudo porque, em abril de 1961, o cosmonauta soviético Yuri Gagarin conseguira entrar para a história como o primeiro homem a viajar pelo espaço. Para não ficar atrás, o presidente dos Estados Unidos, John Kennedy, fez uma promessa: até o final da década, os EUA mandariam astronautas para a Lua.

Existem perguntas que ainda hoje não têm resposta e que são alguns indícios do maior embuste do século XXI. Não se viam estrelas no céu. Ora, se não existe atmosfera na Lua, as estrelas deveriam ser visíveis. Não apareceu nenhuma cratera, e todo mundo sabe que a Lua está cheia delas. As sombras dos astronautas no chão não eram paralelas, como se existissem duas fontes de luz – mas é sabido que só existe uma, o Sol.

Bem, mas não quero aqui desenvolver nenhuma teoria da conspiração. Mas passados 42 anos quase todos continuamos a acreditar que efetivamente Neil Armstrong esteve na Lua, que descanse em paz e talvez consiga, agora viajar bem mais longe.

publicado por franciscofonseca às 22:02
sinto-me:

20
Ago 12

Segundo as autoridades espanholas, o Algarve passou a ser a principal porta de entrada de haxixe na Europa, após o reforço de vigilância em Espanha, que está a empurrar os traficantes de droga para a costa portuguesa, sem vigilância, estando operacional apenas um radar.

Por outro lado, os países africanos de colonização portuguesa estão a ser cada vez mais utilizados por traficantes de droga sul-americanos, entre eles brasileiros, como ponto de passagem para os mercados da Europa e da África do Sul. A rota da droga, proveniente de vários países da América do Sul, está em diversificação, utilizando agora a Guiné-Bissau e Cabo Verde para abastecer o mercado europeu, e Angola e Moçambique para fazer o narcotráfico chegar à África do Sul.

O corredor lusófono da droga, com importante conexão com o Brasil, tem na Guiné-Bissau um ambiente particularmente propício para os traficantes, devido a sua localização em relação à Europa e à América do Sul, a falta de policiamento e a suas ligações linguísticas com Brasil, Portugal e Cabo Verde.

Particularmente nas ligações aéreas e marítimas, Cabo Verde parece operar como uma escala entre três destinos: o fornecedor (Brasil), o mercado (Portugal e Europa) e o armazém (Guiné-Bissau). Com o rápido desenvolvimento do turismo e de relações com comunidades de imigrantes nos Estados Unidos, Cabo Verde também pode ser um local ideal para lavagem de dinheiro.

Os traficantes brasileiros preferem enviar a cocaína destinada à África do Sul para aeroportos pouco seguros, em Angola ou Moçambique, por meio de mulas (transportadores) africanas. As rotas tradicionais começam a estar muito vigiadas e as apreensões e detenções sucedem-se, cada vez com maior frequência. Os traficantes criam novas rotas onde a droga passa a circular com maior segurança, até chegar aos consumidores finais.

publicado por franciscofonseca às 19:27
sinto-me:

17
Ago 12

Os últimos dias foram férteis em casos mediáticos empolgantes. Os milagres continuam a acontecer neste nosso mundo. Um trabalhador de uma obra no Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, sobreviveu após um ferro de ferro de 2 metros de comprimento atravessar a sua cabeça. A barra de ferro caiu do quinto andar da construção e perfurou o lobo parietal (parte posterior da cabeça) e saiu por entre os olhos do homem de 24 anos. Após a retirada do ferro o homem continuou a mexer pernas e braços, realmente é um milagre.

O conflito diplomático entre Equador e Reino Unido provocado pela declaração de asilo político Assange, fundador do Wikileaks. O australiano vai permanecer por tempo indeterminado na embaixada equatoriana em Londres, onde tenta evitar a extradição para a Suécia. Ele está preso numa terra de ninguém. Uma das coisas que provoca mais stress às pessoas é não ter qualquer controlo. E ele não tem nenhum. O controlo está nas mãos de outras pessoas: o governo britânico, o governo equatoriano.

A Justiça russa declarou hoje as três jovens do grupo punk russo Pussy Riot culpadas por "vandalismo" e "incitamento ao ódio religioso", e condenou-as a dois anos de prisão, menos um do que o pedido da acusação. A decisão do tribunal não dependeu da lei, mas da vontade do Kremlin, onde o Presidente russo Vladimir Putin dita as leis e comanda com mãos de ferro os destinos da Rússia.

Trinta e seis pessoas foram mortas na quinta-feira na mina de platina Lonmin de Marikana, no noroeste de África do Sul, quando a polícia abriu fogo contra os mineiros grevistas armados, num massacre horrendo e onde a Polícia sul-africana teve um comportamento a todos os níveis reprováveis. A missão da polícia é garantir aos cidadãos o exercício dos direitos e garantias das leis fundamentais de qualquer país. Os meios de atuação policiais devem ser sempre proporcionais e aplicados de forma gradual. Afinal, Milagres, conflitos diplomáticos, comportamentos totalitários e assassínios acontecem todos os dias neste nosso mundo.

publicado por franciscofonseca às 22:57
sinto-me:

15
Ago 12

Os dois futebolistas franceses Karim Benzema e Franck Ribéry vão a tribunal e arriscam até três anos de prisão no âmbito do chamado caso Zahia. O escândalo já rebentou no seio da política francesa, pois a ministra francesa do Desporto considera inconveniente que os futebolistas, investigados num caso de prostituição com uma menor, sejam convocados para a seleção francesa. Por outro lado o selecionador da França, Laurent Blanc, pretende convocar os dois jogadores para a equipa nacional francesa.

Os jogadores vão ser julgados pelo crime de “solicitação de uma prostituta menor”, no caso em que alegadamente terão mantido relações sexuais com Zahia Dehar, uma prostituta, na altura, menor de idade. O caso, que foi conhecido em Abril de 2010, está sob alçada da Brigada de Repressão do proxenetismo, e investiga uma discoteca alegadamente frequentada por vários jogadores da seleção francesa. Muitos casos têm sido relatados relativamente ao envolvimento de jogadores das seleções nacionais com prostitutas, a quando da realização dos estágios de preparação para os jogos.

Zahia Dear ficou conhecida em França depois de ter rebentado um escândalo dado o seu alegado envolvimento com jogadores da Seleção Francesa, quando tinha apenas 16 anos. Franck Ribéry e Karim Benzema foram implicados no caso e os processos criminais vão ser julgados pelos tribunais gauleses.

A imprensa francesa batizou-a de "prostituta de França" e ela soube bem como tirar partido da má fama, virando-a ao contrário e tornando-se ícone da moda. Além das sessões fotográficas para vários nomes conhecidos, tornou-se designer de moda e lançou nesta semana a sua coleção de lingerie de alta-costura na Semana da Moda de Paris. São estes contrastes que tornam a sociedade parisiense muito excitante, para a maioria dos comuns mortais.

publicado por franciscofonseca às 18:59
sinto-me:

09
Ago 12

A história que os povos europeus contaram de si mesmos durante séculos foi marcada pelo orgulho. Possuíam uma notável cultura e civilização, cuja matriz greco-latina e cristã era considerada superior a qualquer outra existente. Esta presunção legitimou a sua expansão pelo mundo, a conquista e colonização de outras regiões e povos.

Mas a barbárie acontece hoje aos olhos de todas as autoridades, nacionais e internacionais, sem que nenhuma medida concreta seja adotada. Se a barbárie está presente através de atos na própria civilização, desbarbarizar tornou-se uma questão urgente na educação dos povos.

Os habitantes das Ilhas Faroé, uma província autônoma da Dinamarca desde 1948, proporcionaram um grande derramamento de sangue durante o tradicional ''Grindadrap'' nesta ultíma quarta-feira. Estes moradores das Ilhas Feroé matam grupos inteiros de baleias, incluindo as grávidas e jovens. As baleias agonizam e sangram até a morte, enquanto selvagens bêbados golpeiam, esfaqueiam, batem e cortam os animais indefesos até sua morte, enchendo a baía de sangue. Nas Ilhas Feroé, até as crianças são encorajadas por adultos a cortarem as baleias até a morte.

Esta espécie de baleias é classificada como estritamamente protegida pela Convenção Europeia de Conservação da Vida Selvagem. Permitindo este massacre nas Ilhas Faroé, a Dinamarca falha nas suas obrigações como signatária desta convenção, mas durante décadas sempre impune.

O grande cúmplice da tirania é o silêncio; não atacar o despotismo é a maneira mais covarde de servi-lo; não denunciá-lo é auxiliá-lo; estar próximo dele sem feri-lo é a maneira mais vil de protegê-lo; e proteger o crime é mil vezes pior que cometê-lo; eis aí a hora em que a palavra é um dever e o silêncio é um crime.

publicado por franciscofonseca às 22:16
sinto-me:

08
Ago 12

Portugal nos últimos 20 anos arruinou a sua agricultura com as sucessivas reformas da Política Agrícola Comum, perdendo a cultura de território, que demorámos centenas de anos a adquirir. Hoje, vimos as nossas reservas estratégicas reduzidas a números assustadores, devido ao gradual abandono da agricultura. A agricultura tem de passar a ser vista como uma questão de segurança nacional.

Segundo o número avançado recentemente pela ONU, em 2015 mais de 69% da população portuguesa viverá nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto. Esta concentração já era preocupante em 2001, pois 42% da população vivia nestas áreas urbanas. Esta realidade promove o aumento do custo de vida, dos problemas de mobilidade e das condições de vida precária, a nível social mas também ambiental.

Por outro lado, Portugal assumiu uma vocação florestal que foi importante para a economia a curto prazo, mas devastadora para o território a médio e longo prazo, como têm demonstrado os últimos anos, em que vimos boa parte do território nacional a arder e os solos, já de si pobres, a empobrecerem ainda mais.

É urgente que os mais jovens migrem para o campo com uma renovada cultura de território, e visão de longo prazo. São necessárias políticas que promovam um regresso sustentável à ruralidade, que combate o desemprego, estimula o desenvolvimento económico e gera poupanças na economia familiar.

Este nicho da economia que é vital ao desenvolvimento do país deve privilegiar de forma sistemática, a aquisição de produtos portugueses, adquirindo-os a pequenos produtores e gerando riqueza no país, consolidando postos de trabalho nacionais. É importante o regresso à agricultura através dos neo-rurais e que voltem a ter uma grande cultura de território, uma visão a longo prazo, centrada na importância da agricultura para o seu país e para o seu legado. Eu já sou um neo-rural.

publicado por franciscofonseca às 19:10
sinto-me:

06
Ago 12

O tecnocrata e primeiro-ministro italiano Mário Monti lançou uma bomba na discussão europeia, referindo que os preconceitos e os estereótipos criados entre os países do norte da europa, em relação aos países do sul da europa conduzirão à desintegração europeia, devido a existirem países inerentemente virtuosos, enquanto outros são vistos como inerentemente viciados.

O tom do debate europeu entra assim numa fase muito perigosa. A Alemanha também dá sinais de algum nervosismo, pois começa a estar sob pressão financeira devido à exposição potencial e explícita do Bundesbank aos países periféricos europeus. A Alemanha utilizou os países periféricos da Europa para diversificar os seus fluxos de capitais, ou seja, a Alemanha exportou capital na última década, que foi utilizado principalmente pelo mercado imobiliário e governos. Como exemplo, 50% da dívida portuguesa pertence a bancos alemães.

Continuo convencido que o maior erro na construção europeia foi a imposição de uma moeda única, a um conjunto muito heterogéneo de países. Na europa existe pouca mobilidade geográfica e não existem transferências automáticas dos estados mais ricos para os mais pobres. São estes dois fatores que permite aos EUA terem uma moeda única. Mas, neste momento, a dissolução da zona euro é uma opção extremamente onerosa para governos, investidores e cidadãos.

Em termos da sobrevivência da zona euro a única estratégia capaz de criar alguma esperança é a depreciação do euro rapidamente. Com o euro mais fraco os preços das exportações baixam na zona euro e aumentam os custos das importações, reduzindo ou eliminando os défices atuais da balança corrente dos países periféricos europeus. Com o aumento das exportações, o PIB subiria, o que inverteria a recessão provocada pela subida de impostos e pelos cortes na despesa pública. Tecnicamente seria mais fácil alcançar a tão desejada consolidação orçamental. O fim do ciclo recessivo faria crescer o emprego e as receitas das empresas, reduzindo o volume de crédito malparado e o incumprimento no crédito à habitação, que hoje afetam gravemente o sistema bancário. Mas não estou certo que a depreciação do euro interesse a Alemanha, pois a sua economia é baseada nas exportações.

publicado por franciscofonseca às 18:14
sinto-me:

Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
18

19
21
22
23
24
25

27
28
30
31


subscrever feeds
TIME
Google Analytics

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
TRANSLATE THIS BLOG
Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain
VISITANTES
PARCEIROS
À toa na Net Tedioso: Os melhores links MDig - O maior repositório de risos da rede GeraLinks - Agregador de links LinkLog Colmeia: O melhor dos blogs Piadas Idiotas - São idiotas mas o faz rir My Ping in TotalPing.com Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
blogs SAPO